“Manuseio do ventilador mecânico, aspiração por sistema fechado e uso de EPIs” é tema de Tele-educação

Posted on Posted in Fique Sabendo

A fim de capacitar profissionais de saúde da assistência no uso de Equipamentos de Proteção Individual – EPIs, além de informar e orientar equipes multidisciplinares que atuam na Atenção Hospitalar e Ambulatorial, sobre procedimentos em caso de insuficiência respiratória, a Fundação Estadual de Saúde (Funesa), através do Telessaúde Sergipe, com suporte da Secretaria de Estado da Saúde (SES), realizou, nesta segunda-feira, 4, a webaplestra “Manuseio do ventilador mecânico, aspiração por sistema fechado e uso de EPIs”. A tele-educação abordou os métodos adequados que os profissionais devem ter, incluindo as controvérsias no uso da máscara N95/PFF2 e luvas, bem como a utilização do sistema de aspiração fechado e montagem do suporte ventilatório mecânico em pacientes com covid-19, de acordo com rotinas práticas e recomendações.

Durante a webaula, a coordenadora do Núcleo Estadual de Segurança do Paciente e Controle de Infecção Relacionado à Assistência à Saúde, a enfermeira Nírley Borges, destacou que os serviços de saúde devem garantir as políticas e as boas práticas internas que minimizem a exposição de patógenos. Como a via de transmissão do novo coronavírus (SARS-CoV-2) é por gotículas respiratórias e/ou contato, qualquer pessoa que tenha contato próximo (dentro de 1 metro) com alguém que tenha sintomas respiratórios, exemplo de espirros, tosse, entre outros, está em risco de ser exposta a gotículas respiratórias potencialmente infecciosas.

Nírley também falou sobre medidas de precaução, que envolvem a Precaução Padrão; Precauções de Contato; e Precauções Respiratórias – por gotículas ou aerossóis, além de respirador particulado, higienização das mãos, uso dos EPIs em geral e desparamentação. “Utilização de EPI é uma prática de uso habitual, desde quando nos tornamos profissionais, mas quando nos deparamos com uma doença nova, que ainda requer amplo conhecimento, as pessoas se preocupam. O primeiro sentimento é o medo, que inclusive pode levar a ter atitudes inadequadas. Por isso é importante se atentar alguns procedimentos, como a higienização das mãos. É importante lembrar o uso correto e passar informações precisas”, disse.

Já a fisioterapeuta da UTI pediátrica do HUSE, mestre em Ciências da Saúde (UFS) e docente do Centro Universitário Estácio de Sergipe, Layra Rodrigues, ressaltou que aspiração traqueal é um procedimento bastante frequente e essencial em pacientes em ventilação mecânica e que há dois sistemas de aspiração disponíveis no mercado: o Sistema Aberto de Aspiração (SAA) e o Sistema Fechado de Aspiração (SFA). “O SAA é utilizado apenas uma vez e exige desconexão do ventilador, enquanto o SFA é de múltiplo uso e permite a aspiração sem desconexão. Em casos de pacientes com covid-19, faz-se necessário a realização da aspiração através do sistema de aspiração fechado, devido ao procedimento gerar partículas de aerossóis, o que pode levar à contaminação dos profissionais envolvidos”.

Ainda de acordo com Layra, é preciso atenção para a montagem do ventilador mecânico, onde deve-se utilizar filtros adequados em lugar do umidificador ativo. Alguns cuidados também devem ser tomados ao instalar o VM no paciente, após intubação. “Trata-se de uma nova e desafiadora realidade para qual devemos estar bem preparados como equipe de saúde que prestará assistência a esses pacientes. A importância de discutir esse tema está no treinamento e na educação continuada, em reforçar protocolos da nossa rotina. São práticas que mantemos, mas agora o cuidado é maior. Também é interessante passar esses conhecimentos a estudantes, que, formados, precisarão trabalhar com essa realidade, que é saber agir diante de casos de covid-19”, explica.

A Tele-educação contou com a participação de 388 pontos de acessos em 32 Municípios e nove estados. Em breve a aula também estará disponível no YouTube, no canal Telessaúde Sergipe.